Núcleo Abantesma

Somos um Núcleo de Pesquisa que busca desenvolver estudos artísticos abordando as relações entre Terror e Colonialismo.
Mandú em "Necrofilia".
Reproduzir vídeo

Ajude Nossa Pesquisa!

Confira nossa campanha de financiamento coletivo no APoia.Se

Sobre A PESQUISA

Nosso século ama o gênero do terror, esse talvez esse seja o nicho mais movimentado nos circuitos comerciais. Centenas de obras do gênero são produzidas anualmente nas mais diversas linguagens e mídias.

O gênero do terror é marcado, entre outras coisas, por ser detentor de uma enorme gama de subgêneros. Um dos subgêneros mais populares da atualidade é, sem dúvidas, o Horror Cósmico.

Na maioria das vezes se atribui a H.P Lovecraft a alcunha de patrono desse subgênero, por essa razão o Horror Cósmico é conhecido por muitos como Terror Lovecraftiano.

A afirmação de que o autor tinha uma presença pouco expressiva no imaginário popular enquanto vivo não deve chocar ninguém, mas é fato quenos dias de hoje o autor é um verdadeiro ícone da cultura pop.

Os motivos para a popularização e massificação de sua obra são muitos, mas somos bombardeados anualmente com centenas de adaptações e referências diretas a obra Lovecraftiana, seja em filmes, quadrinhos, séries e livros ou outras mídias.


Nossa pesquisa de natureza artística, literária, histórica e sociológica surgiu das inquietações do artista Mandú em relação ao Cosmicismo de Lovecraft e do incomodo com certas nuances de sua poética.

Embora Lovecraft seja o autor da moda poucos se questionam a respeito das bases de sua Cosmologia para além das forte presença de elementos do ocultismo e da ficção científica.

Um Elemento muito analisado em sua escrita é a profunda indiferença para com as ações humanas, o que faz com que seu estilo literário seja muitas vezes associado ao pessimismo e ao cinismo.

Ainda assim o pessimismo em sua obra é um elemento menor. As Bases de seu Cosmicismo são fundadas em um notório supremacismo branco e no apelo ao discurso eugenista.

Os cultos narrados com repulsa por Lovecraft são sempre cultos praticados por povos racializados, sendo que há uma repulsa especial reservada as narrativas que se referem a cultos onde se evidenciam o sincretismo religioso e a própria miscigenação.

Provocações

Grande parte do terror proposto por Lovecraft é construído com base na demonização de culturas não-brancas.

É de se perguntar como o autor pode ser considerado o símbolo de um estilo, o pai do Horror Cósmico, uma vez que o Cosmicismo trabalhado pelo mesmo é, em sua essência, uma apropriação eurocêntrica que distorce e descontextualiza narrativas de povos indígenas, negros, ciganos, árabes, amarelos, entre outros.

Proposições

O entendimento do horror Lovecraftiano como um produto construído por meio da repulsa a corpos, espiritualidades e culturas de pessoas racializadas cria a necessidade de evidenciar os temores e repulsas desses últimos em relação a suas próprias experimentações do Cósmico.

Nossos trabalhos artísticos vindouros irão emergir do questionamento sobre como esses terrores e repulsas supracitados confrontam um ao outro.
Mandú, parte da equipe do Abantesma.
Ator, Performer, Produtor Cultural e Desenvolvedor Web.
São Paulo/SP
Rafael Barros, parte da equipe do Abantesma.
Ator, Performer, Produtor Cultural e Video-Artista.
Porto Velho/RO
Eli Magalhães, parte da equipe do Abantesma.

Eli Magalhães

Performer, Produtor e Professor de Letras.
Belém/PA
Will, parte da equipe do Abantesma.

WIll

Fotógrafo, Músico e Estudante de Arquitetura.
Santana do Livramento/RS

Publicações do Núcleo Abantesma

Não deixe de conferir nossas resenhas, artigos, críticas e relatos bem aqui!